Informação Home Contactos Mapa do Site
 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Infinite Menus, Copyright 2006, OpenCube Inc. All Rights Reserved.
Calendário
Ligações

Piscinas Municipais
Serra d'Arga
Caminho de Santiago
Aves de Portugal - Estuário do Rio Minho
Gastronomia

Viajar pelo mundo dos sabores caminhenses é uma descoberta irrecusável. A dieta alimentar reflete o interior e o litoral, abrindo um vasto leque de opções gastronómicas.

Nas freguesias do litoral, a proximidade com o mar e os rios faz emergir o peixe fresco e saboroso. A atividade piscatória, desenvolvida ao longo dos anos, apurou técnicas e garantiu várias as principais espécies de peixe. Truta, salmão, sável, robalo, linguado, sardinha, solhas, entre outras, são algumas das especialidades mais utilizadas na culinária local.

A costa é procurada por conhecedores, que não dispensam a caldeirada à pescador (Tio Feito), o carro de sapateira, o camarão da pedra, o polvo à moda do Portinho, a sopa de solha seca, as solhas secas fritas, o robalo na caçarola, a lampreia de arroz à bordalesa, o arroz de sável, a parrilhada de peixe, entre outros pratos.

Nas freguesias do interior desenvolve-se a agricultura mais intensiva, a pecuária e a criação de gado. Da terra retira-se as batatas, o milho, o centeio e os legumes. A gastronomia é voltada para a carne, principalmente a de porco, fresca ou salgada. Realce ainda para o cabrito à "Serra d'Arga" e de "S. Pedro de Varais", o "sarapatel de cabrito" e os enchidos de porco, iguarias típicas do interior do concelho, mas igualmente deliciosas.

Para além da carne e do peixe, o concelho apresenta uma variedade de doçaria igualmente sugestiva. Falamos do leite-creme e arroz doce, e dentro da pastelaria caminhense, não se pode deixar de provar os caminhenses e mokas, no âmbito da doçaria regional, as roscas e os papudos.

A gastronomia local encontra-se representada em três eventos gastronómicos: Feira da Doçaria Tradicional e Conventual - "Camidoce" [fevereiro]; a "Lampreia do Rio Minho - um prato de excelência" [fevereiro e março] e a Festa do Mar e da Sardinha [junho] aos quais se associam sabores, arte e música tradicional da terra.

       

Receitas

Caldeirada à Tio Feito

Peixes diversos - ½ kg de congro, raia, tamboril, ruivo, feiticeiras, tremelicosas; fígado e buchos de tamboril, chocos e ovas de badejo e pescada; batatas, pimentos, tomate, cebola, alho, vinho branco verde, colorau, pimenta branca, banha de porco, azeite, sal, salsa, loura, e aguardente velha.

Amanham-se todos os peixes, cortam-se em postas, lavam-se muito bem e salpicam-se de sal.

Depois de todos estes produtos preparados, colocam-se alternadamente dentro da caldeira (tacho), havendo o cuidado de a primeira e última camada serem de cebola.

Todos os produtos são colocados no tacho em cru e só depois de estarem as camadas feitas é que vai ao lume.

Ao fim de 10 minutos de cozedura regar com o vinho branco verde.

Deixar cozinhar por mais 45 minutos, tendo o cuidado de dar umas voltas ao tacho.

Fonte: receita cedida por Jorge - Meira Vila Praia de Âncora, in Boa Mesa do Alto Minho (coord. Francisco Sampaio) VI edição da Região de Turismo do Alto Minho - Costa Verde

 

Cabrito estufado à moda da Serra D'Arga

 

Vinha de alho:

Parte-se o cabrito aos pedaços. Faz-se a vinha de alho com vinho branco, sal, alho, pimenta doce, pimenta picante, pimenta branca e loureiro. Mete-se o cabrito dentro e fica assim durante 24 horas. A vinha de alho tem de cobrir o cabrito por completo.

 

Preparação para o estufado:

Numa panela baixa e larga deita-se cebola picada, alhos picados, loureiro, pimenta doce, pimenta branca, sal, vinho branco e banha de porco. Leva-se a estufar em lume brando para que a carne fique mais suculenta. Atenção: o vinho branco da vinha de alho, não serve para o estufado; a calda da vinha de alho não se reutiliza.

Fonte: Receita cedida por Dulcelina Pires - Freguesia de Dem

 

Cabrito assado no forno

Vinha de alho:

A vinha de alho do cabrito assado leva os mesmos ingredientes da do cabrito estufado, mas deve de estar bem temperada de sal, para depois não o ter de acrescentar quando estiver no forno. O cabrito deve de ser partido em pedaços bem maiores. As pernas devem de ir ao forno inteiras. Deve-se fazer pequenos cortes na carne e meter alhos laminados para que fique com um sabor mais agradável.

 

Preparação para o assado:

Numa assadeira de barro deita-se banha de porco, óleo, azeite e pimenta doce. Mete-se o cabrito dentro e vai ao forno. Deve-se regar o cabrito várias vezes com o molho que está na assadeira enquanto está a assar, para que não queime em demasiado.

Fonte: Receita cedida por Dulcelina Pires - Freguesia de Dem

 

 

Submenus
 
Caminha Turismo 2010, Todos os Direitos Reservados : Política de Privacidade e Segurança . Ficha Técnica :