Gastronomia

Viajar pelo mundo dos sabores caminhenses é uma descoberta irrecusável. A dieta alimentar reflete o interior e o litoral, abrindo um vasto leque de opções gastronómicas.

Nas freguesias do litoral, a proximidade com o mar e os rios faz emergir o peixe fresco e saboroso. A atividade piscatória, desenvolvida ao longo dos anos, apurou técnicas e garantiu várias as principais espécies de peixe. Truta, salmão, sável, robalo, linguado, sardinha, solhas, entre outras, são algumas das especialidades mais utilizadas na culinária local.

A costa é procurada por conhecedores, que não dispensam a caldeirada à pescador (Tio Feito), o carro de sapateira, o camarão da pedra, o polvo à moda do Portinho, a sopa de solha seca, as solhas secas fritas, o robalo na caçarola, a lampreia de arroz à bordalesa, o arroz de sável, a parrilhada de peixe, entre outros pratos.

Nas freguesias do interior desenvolve-se a agricultura mais intensiva, a pecuária e a criação de gado. Da terra retira-se as batatas, o milho, o centeio e os legumes. A gastronomia é voltada para a carne, principalmente a de porco, fresca ou salgada. Realce ainda para o cabrito à “Serra d’Arga” e de “S. Pedro de Varais”, o “sarapatel de cabrito” e os enchidos de porco, iguarias típicas do interior do concelho, mas igualmente deliciosas.

Para além da carne e do peixe, o concelho apresenta uma variedade de doçaria igualmente sugestiva. Falamos do leite-creme e arroz doce, e dentro da pastelaria caminhense, não se pode deixar de provar os caminhenses e mokas, no âmbito da doçaria regional, as roscas e os papudos.

A gastronomia local encontra-se representada em três eventos gastronómicos: Feira da Doçaria Tradicional e Conventual – “Camidoce” [fevereiro]; a “Lampreia do Rio Minho – um prato de excelência” [fevereiro e março] e a Festa do Mar e da Sardinha [junho] aos quais se associam sabores, arte e música tradicional da terra.

Receitas

Caldeirada à Tio Feito

Peixes diversos – ½ kg de congro, raia, tamboril, ruivo, feiticeiras, tremelicosas; fígado e buchos de tamboril, chocos e ovas de badejo e pescada; batatas, pimentos, tomate, cebola, alho, vinho branco verde, colorau, pimenta branca, banha de porco, azeite, sal, salsa, loura, e aguardente velha.

Amanham-se todos os peixes, cortam-se em postas, lavam-se muito bem e salpicam-se de sal.

Depois de todos estes produtos preparados, colocam-se alternadamente dentro da caldeira (tacho), havendo o cuidado de a primeira e última camada serem de cebola.

Todos os produtos são colocados no tacho em cru e só depois de estarem as camadas feitas é que vai ao lume.

Ao fim de 10 minutos de cozedura regar com o vinho branco verde.

Deixar cozinhar por mais 45 minutos, tendo o cuidado de dar umas voltas ao tacho.

Fonte: receita cedida por Jorge – Meira Vila Praia de Âncora, in Boa Mesa do Alto Minho (coord. Francisco Sampaio) VI edição da Região de Turismo do Alto Minho – Costa Verde

Cabrito estufado à moda da Serra D’Arga

Vinha de alho:

Parte-se o cabrito aos pedaços. Faz-se a vinha de alho com vinho branco, sal, alho, pimenta doce, pimenta picante, pimenta branca e loureiro. Mete-se o cabrito dentro e fica assim durante 24 horas. A vinha de alho tem de cobrir o cabrito por completo.

Preparação para o estufado:

Numa panela baixa e larga deita-se cebola picada, alhos picados, loureiro, pimenta doce, pimenta branca, sal, vinho branco e banha de porco. Leva-se a estufar em lume brando para que a carne fique mais suculenta. Atenção: o vinho branco da vinha de alho, não serve para o estufado; a calda da vinha de alho não se reutiliza.

Fonte: Receita cedida por Dulcelina Pires – Freguesia de Dem

 Cabrito assado no forno

Vinha de alho:

A vinha de alho do cabrito assado leva os mesmos ingredientes da do cabrito estufado, mas deve de estar bem temperada de sal, para depois não o ter de acrescentar quando estiver no forno. O cabrito deve de ser partido em pedaços bem maiores. As pernas devem de ir ao forno inteiras. Deve-se fazer pequenos cortes na carne e meter alhos laminados para que fique com um sabor mais agradável.

Preparação para o assado:

Numa assadeira de barro deita-se banha de porco, óleo, azeite e pimenta doce. Mete-se o cabrito dentro e vai ao forno. Deve-se regar o cabrito várias vezes com o molho que está na assadeira enquanto está a assar, para que não queime em demasiado.

Fonte: Receita cedida por Dulcelina Pires – Freguesia de Dem